art por lookattheparkinglot – reprodução do instagram

Júpiter, o grandioso. Planeta concessor das bençãos que fertilizam os campos, os corpos, os projetos e as vontades. Úmido. Quente. Expansivo. 

As duas manifestações mais confortáveis para Júpiter acontece em dois signos: Sagitário e Peixes. O primeiro concede vestes vibrantes, atitudes desmedidas e corajosas. Por meio da flecha, busca-se alcançar destinos longínquos nos assuntos da fé, da política e do ensino. É o Júpiter de Hermann Hesse, Dua Lipa e Lupita Nyong’o. O segundo deixa as vestes, arcos e pretensões diurnas suspensas. E se deita. Ao invés do universo de fora, preza-se os planos interiores. Com os olhos fechados, é permitido em Peixes diluir o que se encontra rigidamente separado pelas normas ou pelo tempo-espaço de um contexto. É a poesia. É o surrealismo. É o Júpiter de Lady Gaga, Sigmund Freud e J. R. R. Tolkien. 

art por lookattheparkinglot – reprodução do instagram

A partir de 29.12.2021, Júpiter em seu domicílio noturno. Em Peixes, caminhará rápido até Áries no próximo ano. Retrogradará também?, sim. Anunciaremos cada movimento por aqui! Para quem carrega Júpiter em algum dos dois signos, são esperadas mudanças relativas à forma de se posicionar no Mundo. E serão concedidos “empurrões” para que ocorram desenlaces de tudo aquilo que já não cabe mais na construção de Si. 

(Para saber especificamente como isso se aplica ao seu mapa, busque uma pessoa que atenda profissionalmente 😊).

texto por Bruno Ueno

art por lookattheparkinglot